A Lua de Joana

by - agosto 04, 2014

Boa Tarde, então como tem estado os melhores leitores do mundo? Eu fui passar o fim e semana fora para aliviar o facto de ter que estar sempre deitado por causa do meu pezinho, foi super relaxante e divertido mas agora estou de volta aqui ao meu cantinho para vos escrever e por a par das novidades.
                                
Livros


Para vos compensar por este fim de semana fora vou começar por vos falar de um livro que li há já vários anos, e certamente existem muitas outras pessoas que também o leram por ser tão conhecido, pelo menos nacionalmente, A Lua de Joana.
O livro é uma espécie de diário sem o ser completamente, pois são cartas que Joana escreve a Marta, a sua melhor amiga que morreu por overdose, onde lhe conta o seu dia-a-dia e tudo aquilo que sente de maneira a sentir-se mais perto da melhor amiga que nunca mais vai voltar.
Joana é uma excelente aluna, respeitada e admirada por todos o que a rodeiam, mas que vive apenas com a atenção e o carinho da sua avo, que é uma espécie de porto seguro e de conselheira magica nos momentos difíceis. O seu pai é um medico prestigiado que passa a vida entre o trabalho e reuniões e a sua mãe, dona de um pronto a vestir dedica grande parte do seu tempo ao seu o outro filho, que Joana denomina de "Pré-Histórico" devido a maneira como se veste e comporta que passa os dias fechado no quarto. Tanto a mãe como o pai não dão grande atenção e apoio a Joana por verem nela uma rapariga madura e crescida que não necessita que eles olhem por ela e lhe dediquem algum do seu tempo.
Com o desenrolar do tempo a sua avo fica muito doente e acaba mesmo por falecer deixando a Joana sozinha. Devido a solidão que sentia Joana aproximou-se da Rita, uma amiga da Marta e do Diogo, irmão da Marta, até que descobriu que ambos se drogavam. Começou por não perceber como é que eles tinham caído no mesmo erro de Marta, não percebe como é que o próprio irmão sabendo que as drogas tinham sido o motivo de morte da irmã consegue consumi-las, correndo o risco que lhe aconteça o mesmo. Revoltada com a falta de tempo que a sua família tem para lhe dar decide tatuar um relógio parado nas zero horas e um dia quando vê Diogo a droga-se decide experimentar também pensando que não o voltará a repetir, mas passado pouco tempo assume numa das suas carta a Marta que não consegue realmente sair do caminho em que se meteu, chegando ao ponto de ter que vender as sua coisas mais valiosas para puder sustentar o vicio que tirara a vida a sua melhor amiga.
No final já perdeu completamente o controle sobre si e é tarde de mais para voltar a trás, tal como foi para Marta, a sua melhor amiga.
Livros

Eu gostei muito do livro, acho que nos mostra uma realidade muito presente na nossa sociedade. Transmite nos uma história que pode perfeitamente estar na porta ao lado ou mesmo vir bater a nossa quando menos esperarmos, e nós temos o poder de decidir o nosso destino, tal como a Marta e  Joana tiveram.
Eu gostei particularmente de alguns momentos, um deles foi quando o pai da Joana vai ao quarto dela e lê as cartas que ela escreveu, tira o relógio e pensa que agora tem todo o tempo do mundo, mas para quê? 
Também achei especialmente interessante o baloiço em forma de lua que a Joana tinha pendurado no quarto e que ela colocava conforme o seu estado de espírito, se estava triste rodava-a para quarto minguante e se queria pensar colocava-a em quarto crescente.

Resumindo e concluindo é um livro que vos aconselho, principalmente aos jovens e aos país que por vezes se esqueçam que todos os filhos precisam de atenção, mas é uma lição essencial a todos porque temos que estar atentos a quem nos rodeia para podermos ajudar correctamente e o mais importante, a tempo.

E qual é a vossa opinião sobe o livro? E sobre o consumo de drogas e tudo o que isso pode implicar?

Madalena Castanheira

You May Also Like

0 comentários