Daqui não sais viva

by - maio 14, 2015

Boa Noite, como devem saber (talvez estejam na mesma situação), estou na altura de testes... Só esta semana já foram dois e amanhã mais um. Mas não é de testes que vos vou falar, mas sim de mais um livro que recebi da parceria com a Guerra & Paz.
Que livro?? Daqui Não Sais Viva.
Este livro fala-nos do caso de Manuel Palito que assassinou duas mulheres a sangue frio, a tia e a mãe da (ex)-mulher,atingindo ainda a sua filha e a própria da (ex)-mulher.
Talvez se vos falar do homem que esteve a monte durante várias semanas, tendo a ajuda dos habitantes da aldeia para se alimentar e esconder e que quando foi libertado tinha um grupo de pessoas a aplaudir, talvez já recordem o caso.
O jornalista João Bonifácio, escritor deste livro, não se limita apenas a contar-nos o que aconteceu naquele dia, vai mais longe dando a conhecer toda uma comunidade e uma realidade perturbadora. Viveu durante cerca de um mês em Trevões e Valongo dos Azeites, onde conheceu os habitantes, os amigos e inimigos, os hábitos e mais, os pensamentos daquela população.
Eu sei que durante muitas gerações a mulher foi considerada inferior, sei que a mulher em certas zonas do pais ainda tem um valor reduzido, sendo por isso vista como "propriedade"... mas o relato que li marcou-me. Eu não sou uma feminista radical, o que defendo é a igualdade de direitos, e vamos ser sinceros, muitas vezes a mulher ainda se depara com um grande défice de igualdade de direitos. Mas voltando ao livro, chocou-me as frases ditas pelos homens daquela terra, o facto de para eles a mulher não ser nada, a mulher não pode ter opinião, não pode ter vida, não pode fazer escolhas. A mulher é um objecto que serve para servir, para obedecer e até um saco de boxe para "descarregar" a raiva.
Angelina, a mulher de Palito, sofreu dês de cedo nas mãos daquele homem, durante um grande período da sua vida esteve em casa fechada para que ninguém visse as marcas no seu corpo, mas sabem o que era dito nos cafés? Que estava com uma depressão, e que não queria estar com os "amigos", história esta que provêm de quem? Palito. Mas não pensem que o povo não sabia da violência, sabia, e bem, quer dizer, até apoiava. Foi este mesmo povo que ajudou Palito a esconder-se durante várias semanas nos montes, enquanto a sua mulher e a sua filha estavam no hospital.
Para estes homens a justiça não funciona, e por isso mesmo, viram em Palito um herói que conseguiu escapar a policia, porque sim, este só foi capturado porque quis (acreditam que isso é verdade), tal como aquele caso americano em que dois ladrões assaltaram vários locais, conseguindo fugir durante imenso tempo, também eles foram vistos como heróis, como pessoas mais inteligentes que a policia.
Talvez se questionem porque que este homem não matou a mulher, acreditem que se não o fez, foi porque não quis pois Palito é um caçador com uma pontaria bastante afinada. Este homem não o fez porque, 1º esta mulher é a razão dele viver, se ela morre-se ele também morreria e 2º porque para Palito as culpadas do facto da sua mulher se querer separar e de ter saído de casa eram a sua sogra e a tia da mulher, que supostamente lhe metiam"macaquinhos na cabeça".
Sinceramente gostei bastante do livro, não por ser uma história bonita, porque sem duvida que de bonita não tem nada, mas sim porque relata a verdade nua e crua de uma realidade que , infelizmente, é bastante actual.

Fico a espera das vossas opiniões e mais uma vez um grande obrigado a Guerra & Paz!


You May Also Like

0 comentários